Os 5 Passos de Yamas

A Yoga vai além da meditação, das asanas (posturas), e exercícios de respiração. Também envolve seus preceitos éticos que nos auxiliam no nosso caminho de autoconhecimento e autoaperfeiçoamento. Não vou me deter muito detalhadamente, pois já há vasto material online e nos livros.
Neste post, vou concentrar-me nos Yamas, os 5 passos do que não se deve fazer.






Primeiramente, Ahimsa: não violência.
A não violência trata-se de não cometer qualquer violência com nenhum ser e nem consigo mesmo. Ainda vai além disso, incluindo a gentileza, a educação, o respeito. Incluo também a questão da maledicência, que é uma forma de violência, seja através de pensamentos ou palavras, o que exige de nós um bom grau de autodisciplina e autocontrole. Não ofender, não maltratar, nem mesmo que estejamos, supostamente ou totalmente certos em algum ponto. O conceito de ahimsa é amplo e determinante, pois seria hipocrisia brutal nossa, querermos avançar no caminho da evolução, mas permitindo que a violência ainda faça parte de nossos atos, palavras e ações. O respeito, a compreensão e o perdão devem fazer parte desse conceito, à nós e à todos os seres.

Satya: praticar a verdade.
Este conceito nos compromete à verdade. Não mentir, não mascarar a verdade. Não estou afirmando que devamos ser grosseiros (isso nos colocaria no que não devemos praticar, pois voltamos ao príncípio de Ahimsa), pois há pessoas que, afirmando serem honestas e verdadeiras, dizem o que julgam ser a verdade e apenas magoam. Precisamos alinhar nossos pensamentos, atos e palavras, no sentido da sinceridade espiritual, e podemos praticar a verdade com respeito. Satya é evitar a falsidade.

Asteya: não roubar.
Não roubar sejam coisas ou ideias, relacionamentos, o que for. O que for dos outros, que seja dos outros, conquiste o seu. Isso significa também combater a inveja, a cobiça, o que nos leva ao materialismo e ao egoísmo.

Brahmacharya: celibato.
Este é um dos pontos mais difíceis que eu tenho de compreender. Se refere ao equilíbrio da sexualidade, o que é necessário, dando que vivemos numa sociedade excessivamente sexualizada, e parece que tornou-se obrigatório a prática do sexo, seja com quem for. Fico pensando naqueles que são assexuados, e sofrem um grande preconceito. Nossa sociedade, aliás, o mundo, caminha apenas na questão de dois gêneros, masculino e feminino, mas já estamos vendo que estes conceitos estão sendo superados, pois a sexualidade se manifesta de diversas formas que muitas vezes não entendemos, mas que precisam ser respeitados. Enfim, Brahamacharya (Brahma: infinito, verdade essencial, Charya: mover-se no infinito).
Eu ainda diria que Brahamacharya é usarmos nossa energia sexual de forma coerente e respeitosa conosco e nosso parceiro, pois vemos que, atualmente, a energia sexual é vulgarizada e vários programas de televisão sugerem esses relacionamentos estapafúrdios, que servem para dar Ibope,

Aparigraha: não possessividade.
Generosidade e desapego. Esse é o caminho de Aparigraha. Em geral, somos muito possessivos em relação às pessoas e às coisas, nos levando à cobiça. Tratamos as pessoas como coisas e as coisas como pessoas. No caminho da evolução, esse apego apenas nos puxa para baixo, pois acabamos vivendo num medo constante de perdermos o que achamos que é nosso. O caminho de Aparigraha é desafiante todo o tempo, pois temos, sim, a tendência de nos apegarmos a quem e o que quer que seja. Posição social, ostentação, tudo isso é apego. Lógico que devemos zelar pelo que temos, mas sem o excessivo apego e possessividade.

Cada um desses passos, inclui reflexão, pois são preceitos amplos que devem ser repensados e aplicados à nossa vida diária.
Atualmente, tenho lido e ouvido que muitas escolas atuais de Yoga não estão ensinando os fundamentos principais. Não tenho como julgar, mas considero esse estudo altamente e fundamentalmente importante para todos aqueles que se voltam à Yoga. Muita paz à todos.

Comentários

blog Usei Hoje disse…
Taí, muito bom saber mais sobre isso...gostei.


Bjim...
>>blog Usei Hoje<<
Instagram | Twitter | Fan Page
Admiro muito a Yoga, fiz quando era jovem, mas muito superficial.
Também não curto colorama acho que não fixa nas unhas.
Ótima semana,com muita paz.
Obrigada pela visita.
Beijos coloridos!♥♥♥
Janaína Santos disse…
Que bacana esse post adorei saber mais sobre a Yoga.
Beijos
Jana Makes Esmaltes e Cia
Fanpage
Instagram
Pathy Guarnieri disse…
Nossa, que interessante! Eu não conhecia. Agora fiquei com vontade em praticar yoga!

Beijo!
Paty Domingues disse…
São fundamentos tão importantes, uma pena que muitas escolas tem deixado de lado!

Beijos!

EsmaltadasdaPatyDomingues

Postagens mais visitadas