Pequenas Felicidades

O que é a felicidade para você? Ela vem de algo grande, como uma viagem, a compra de uma casa, de um carro, uma roupa nova, o marido ou esposa ideais? A felicidade para você vem das promessas de ano novo, como usar branco, comer lentilhas, sementes de romã, pular sete ondas? O que é ser feliz?
Vamos seguir com a leitura...




Há tanto sobre o assunto... tantos livros, tantas filosofias, tantas teorias... Confesso que só comecei a achar a vida interessante... eu disse interessante, após 45 anos... ou seja, há poucos meses...

A felicidade passa por momentos modestos. O aroma e o sabor do café, a companhia das pessoas queridas, um passeio no parque, no campo ou na praia (ou seja, contato com a natureza), a leitura de um livro salutar, assistir a um programa saudável, brincar com seus animais de estimação, enfim.
Adquirir a casa e o carro, a viagem, a faculdade, lógico que essas coisas trazem uma sensação maravilhosa de realização, mas, como eu disse, e não somente eu, essas coisas trazem a sensação, um sentimento gostoso... mas não são extáticos, pois a vida é eternamente transitória.

Pela minha experiência pessoal, sem pretensão alguma, leveza e descomplicação são fundamentais. Mais outra: se libertar da mania de querer ser perfeito, não errar, querer aparentar o que não é, ficar obcecado em ter isso ou aquilo. Não, o importante é ser... SER! Ter é o pão de nosso corpo, é importantíssimo, lógico, mas SER... ser é fundamental, essencial, é o pão da nossa alma. O corpo perece, mas a alma, o Espírito, esse vive para sempre.
Outra: desencane-se do que os outros podem falar ou pensar de você. O problema é dos outros, o desperdício mental é dos outros. Você precisa preocupar-se consigo mesmo, seu bem-estar, em ser mais útil para os outros e a sociedade, em agir melhor no mundo, mas nenhum de nós pode ter a preocupação inútil do que os outros podem pensar ou falar sobre nós. Isso está fora do nosso alcance.
Mais outra: sermos mais simples. Em geral, somos muito intransigentes, exigentes, cheio de manias e tudo isso se torna uma bagagem inútil à todos nós.

Não tenho nada contra a elegância e a moda, nada disso, mas quando se trata de nós, mulheres, quantas vezes, ficamos obcecadas em termos isso ou aquilo porquê virou moda? E aí a gente quer comprar isso, e aquilo e aquilo outro... desperdiçando dinheiro e energia mental... à toda.

Outro ponto ... só para fechar: vamos largar esse vício de julgar tanto os outros, seja por que motivos forem... isso nos livra de um peso imenso! Os outros tem suas vidas e seus pontos de vistas, os outros seguem seus caminhos. Nós temos responsabilidade conosco mesmo, com nossa história e nossa evolução, assim libertamos os outros e a nós também. Voltando à um outro parágrafo mais acima: se os outros nos julgam, não é problema nosso.

Felicidade também é auto-estima, mas isso é assunto para outros posts. Quero finalizar aqui com esse video que assisti há alguns dias, e hoje, novamente. Eu sigo canal da FEESP, no Youtube.
Se houver algum problema para abrir o video, segue o link aqui. Trata-se de uma palestra de 25 de dezembro de 2015, por José Carlos de Lucca, que também é autor de vários livros, entre eles Alguém me Tocou, Cura e Libertação, e o mais novo: Feliz.

Muita paz à todos.

-se

Postagens mais visitadas